sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Crentes íntegros, Igreja Revolucionária

“Para que não tenham nenhuma falha ou mancha. Sejam filhos de Deus, vivendo sem nenhuma culpa no meio de pessoas más, mas que não querem saber de Deus. No meio delas vocês devem brilhar como as estrelas do céu” (Fp 2:15)

A igreja é muito mais do que uma instituição. A igreja não é uma organização. A igreja é um organismo porque ela é o Corpo de Cristo. A igreja atua em nome de Cristo – como Suas pernas, Seus olhos, Suas mãos.

A igreja representa o Cristo vivo. É a sua presença visível e palpável. É por meio dela – dos homens e mulheres que a compõem submetidos ao poder do Espírito Santo – que Deus opera Sua ação de misericórdia e salvação.

No dia em que os crentes entenderem o Reino de Deus entre nós e as responsabilidades que têm como membros do Corpo de Cristo, o impacto das comunidades cristãs espalhadas pelo mundo será notório. Todo o poder do Reino de Deus está disponível para ser liberado quando os cristãos entrarem em ação.

Mas isto exige uma qualidade pessoal de vida, uma inteireza de caráter e uma integridade como cristão.

É preciso compreender que todas as vezes que um cristão é uma benção na sociedade, Cristo é exaltado.

Por outro lado, cada vez que um cristão erra, Cristo é envergonhado e zombado.

O testemunho dos crentes deve ser vibrante mas, sobretudo, coerente. O Novo Testamento enfatiza o papel revolucionário, contracultural que o povo de Deus exerce na sociedade.

Isso significa que devemos ser sal e luz. Devemos ser farol de Deus em meio a densas trevas.

Convido você, no dia de hoje, a examinar-se à luz desta meditação.

Como tem sido o seu procedimento nos últimos tempos?

Tem honrado o Corpo, especialmente o Cabeça do Corpo?

O seu testemunho tem sido revolucionário ou destrutivo?

“Seja farol em meio a densas trevas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário